+Sol+Riso

Existem histórias para se contar, motivos para rir e soletrar. Tom sobre tom, vontade sobre dom. Músicas no plural, afinal, sem querer, sem ver, somos de todo astral. Por vezes inglês, outrora português. Foi pra ti, foi pra nós; que às vezes se afunda ao ver que a segunda já está pra chegar. Mas olhando d’outro ângulo, vê que até um vândalo pode passar pelo verde, pelo azul; pra ti que gosta de rock, mpb e blues. Pra quem disse sim e também não, tu que andastes por vezes na contra mão e agora enxergas tudo passar, te chamo pra este CD escutar. Mais sol, mais riso. Sorriso. Só riso. Por Ana Muniz


Acompanhe a letra das músicas

História pra contar

Cuida bem, deixa eu cuidar também
Deixa o sol dizer e a rua te guiar
De que adianta viver sem história p’ra contar?

Eu vou andar pela calçada, encantada…
Cantando coisas que eu já sei de cor
Vou rir da nossa segurança, importância
Vou dar abraços do maior ao menor

Eu sei que tá na hora em que a gente comemora
E se não tá tão fácil assim, rio de ti e tu ri de mim…
Ai ai

Eu vou sair a tarde, em meio a tempestade
Se eu me molhar, eu vou sorrir
É meio ano e eu quero ir.

Eu sei que tá na hora em que a gente comemora
E se não tá tão fácil assim, rio de ti e tu ri de mim
Ai, ai, ai…

Da boca de pessoas saem letras e besteiras
Eu abro a torneira e lembro o teu olhar
Tão claro quanto a água quando viu que a nossa mágoa não é maior
Que a sede de tentar

Eu sei que tá na hora em que a gente comemora ah ah ah! (2x)

Rir e soletrar

Ainda lembro bem do que passou, do que falou
Eu vou marcar uma resposta pra te dizer quando tudo isso desaparecer
Não sou eu quem vai te responder, tirar as dúvidas da vida em teu mural
Sou eu quem vai te respeitar e te escutar quando ninguém mais quiser falar

O teu sorriso desapareceu quando me viu ao lado de quem mexe com o teu…
Instinto de amores e temore, todo o teu orgulho se perdeu em um mar de ondas nossas
E venceu mais um degrau de chances de render pro mal, eu te digo agora:
Quando tudo se perder, me chama. Pra que eu vá te ver… E mexer com todo o teu humor!

Não vá se entregar pra quem te falar que a vida na esquerda é válida
Vamos te mostrar que aqui o mundo pode girar, mas não deixe isso acabar
Não vá se mostrar tão frágil pra quem não te conheceu
P’ra quem lida com teu mundo ao invés do seu
Vou te falar tantas vezes, repetir…

Até tua boca já saber rir e soletrar, até tua boca já saber rir e soletrar
Até tua boca já saber rir e soletrar, até tua boca já saber…
Pra mexer com todo o teu humor!

Não vá se entregar pra quem te falar que a vida na esquerda é válida
Vamos te mostrar que aqui o mundo pode girar, mas não deixe isso acabar
Não vá se mostrar tão frágil pra quem não te conheceu, pra quem lida com teu mundo ao invés do seu

Vou te falar tantas vezes, repetir…
Até tua boca já saber rir e soletrar, até tua boca já saber rir e soletrar
Até tua boca já saber rir e soletrar, até tua boca já saber…

Música no plural

Eu disse “dignamente justo”, dobra esse papel que dá mais um
Sentidos eternamente juntos, depois das lembranças que não separam mais
Há mil e um caminhos pra escolher, ponto de equilíbrio pra viver
Não foi mais pra falar, foi só pra ouvir e encontrar um jeito novo pra fugir…
Eu disse vem!

Que venha o fim dos tempos que desse quarto eu não saio mais
Com todo esse vento, não vou.
Vou ficar aqui, sem deixar pra trás.
Vou ficar aqui, pode entrar quem quiser, pois…

Superando até a mente de quem pediu pra ficar, vencendo toda a gente que um dia tentou separar
Pra onde eu vou encontro a gente negando a companhia pra no quarto ficar. No quarto ficar, pra desvendar…

As cores dos cantos, nos campos há flores.
As flores são campos aonde eu quero te levar, aonde eu quero te levar
No meio do todo, da música em plural. Dos contras, dos prós, da melodia geral. (2x)
Fez valer, consagrou. Por que?

Superando até a mente de quem pediu pra ficar, vencendo toda a gente que um dia tentou separar
Pra onde eu vou encontro a gente negando a companhia pra no quarto ficar. No quarto ficar, pra desvendar…

As cores dos cantos, nos campos há flores.
As flores são campos aonde eu quero te levar, aonde eu quero te levar
No meio do todo, da música em plural. Dos contras, dos prós, da melodia geral. (2x)

Sem ver

Eu vi tesouros dos prisioneiros trancados nessa prisão
Vi crianças prestes a morrer e vocês reclamando com tudo nas mãos
Vi as tardes passarem com dificuldade de ganhar atenção
Relacionamentos acabarem por falta de compreensão
Da sociedade, da vida. Por só saberem o que lhes convém até então.

Senti os dias dizerem em alegria que tudo mais vai passar
As noites chegavam mas nunca passavam pra que o dia pudesse chegar
A eternidade parecia distante, a chuva caindo não era capaz de fazer esquecer
Eu desisti de tentar esquecer

Chamou, tudo o que eu queria contar
Calou, todos os dias, o que eu queria falar
Falou, num tempo curto, pequeno, contou…
Que nada do que eu sentia passou

Acendendo a luz pra iluminar toda a sala,
Fez juz ao falar que num mar perigoso queria nadar porque dentro do todo queria ficar
Desliguei a luz da sala pra entender que iria esperar um mês pra poder
Tocar, falar, conversar, entender, saber dizer
Pra poder ouvir e desvendar, pra sentir e falar…

Chamou, tudo o que eu queria contar
Calou, todos os dias, o que eu queria falar
Falou, num tempo curto, pequeno, contou…
Que nada do que eu sentia passou (2x)

Remind you

I’ve been told you all, not enough at all
Your voice a sweet sound
I could hear you loud, you are like the face of my background

More than two, we are one
More than all we have done, I would do it all over again (2x)

I’ve been playing games to find my place
Only with you that I can find the grace
Chest to chest, you just forget the rest of the world

More than two, we are one
More than all we have done, I would do it all over again (2x)

Such a long time I am full in love, such a long time you said we can’t give up
I am not afraid about the way you said to me
“I wanna hear your voice everyday before we sleep”

I am more afraid about the way your hold my hand
About the way we talk, about the way we spent missing each other
Watching together all this loving stranger come true

More than two, we are one
More than all we have done, I would do it all over again (2x)

Só segunda

É só segunda e tanto faz, alguém nos acuda ou nunca mais
Eu vou poder brincar de ser formal e dizer que o que eu quero é ser normal
E dar um tchau p’ras coisas que eu não faço questão
Me vestir sem saber se vai gostar ou não

E dizer que no fim é tudo igual, que desistir não entra na cabeça e tal
Como eu te falei.. É só segunda e tanto faz!

Enquanto eu penso em levantar, tem gente atravessando a rua a trabalhar
Gente chegando em casa a descansar… Tem gente rindo

E quanto a nós? E quanto a nós?
Eu sei que não tem nada igual, que nada é tão real
Que é feliz quem sabe ser, dá pra sorrir só de te ver
E as perguntas que eu não sei responder, as respostas que eu ainda posso ter?

Eu não sei dançar mas eu tô com vontade
Vou esperar meu par acordar e dividir a saudade
E dividir a vontade!

Confundindo os azuis

Peraí, não venha me dizer que o amanhã vem mais forte do que sou
Vou servir um café
Eu vejo você, os cílios de pé

Fica aqui, escuta o que ele tem pra te dizer
Não fuja do que é, o vento bateu, o céu escureceu e o amanhã..

Vai passar pelo verde e o azul, não vai querer confundir os azuis
Sem contar que a esperança há de ser o que vai me encorajar até o fim

Eu vim mandar alguém dizer que vai chover
Mas encontrei alguém pra me dizer que na verdade a vida não é assim
Que apoiar é diferente de escorar e amar é mais do que querer o bem

Vai passar pelo verde e o azul, não vai querer confundir os azuis
Sem contar que a esperança há de ser o que vai me encorajar até o fim

Contra mão

Passou por mim um par de conxas rosas
Passou por mim um mar de ondas novas, te perguntei…

Por que dessa diferença? Tua indiferença agride a minha intuição
Por que dessa voz que faz a diferença? Suspense a viagem que é na contra mão

Mas de novo sorri e encarei o que ali há de bom
Mas de novo senti e declarei guerra ao que em mim insistiu em falir
Mas de novo sorri e encarei o que em mim há de bom
Mas de novo senti e já não caí, já não caí…

O céu me disse pra ficar e tu me pediu pra levar a caixa que guardava o que passou
O texto diz pra esquecer
A mente diz que merecer é mais do que fazer o bem e receber…
O amor que guardamos e fechamos entre nós dois, seguramos o reflexo, pois
Precisamos enxergar depois

Mas de novo sorri e encarei o que ali há de bom
Mas de novo senti e declarei guerra ao que em mim insistiu em falir
Mas de novo sorri e encarei o que em mim há de bom
Mas de novo senti e já não caí, já não caí…

Teorema

Vai ser pela janela, só por ela que eu vou te ver passar
Com aquela flanela azul e o cheiro pairando pelo ar

E o verde dá um contraste com o Sol
E a lente da minha foto dá um nó

Eu vou andar, correr, me abaixar
Engatinhar… Só pra ver o Sol passar

É muita arrogância p’ra pouca essência
Muita essência com más influências

E o que me influencia é o Sol
Eu me perco dentre notas como um nó!

Eu vou andar, correr, me abaixar
Engatinhar… Só pra ver o Sol passar (2x)

Deixa, que da minha bicicleta cuido eu… ah!
Que eu já não quero me perder em um mundo teu
Eu já não quero que ninguém se perca no meu

Deixa que a teoria é cada um cuidando do seu
A alegria deixa que eu divido com os meus e com os teus
Com os meus e com os teu

Vídeo

 

Guilhotina


História pra contar


Confundindo os azuis

Ana Muniz

Ana MunizAna junta a herança MPB com um gosto aventureiro, explorando ritmos distintos temperados com letras e discursos autênticos. Com 15 anos, lança seu primeiro CD intitulado “+Sol+Riso“, com 9 canções autorais. Vem de uma família musical, tocando violão desde sua infância e compondo desde os 11 anos. Tem como referência algumas bandas como Los Hermanos, Coldplay e um leque diversificado de inspirações musicais. Além disso, Ana conta com uma sede por música e aprendizado, tendo, por ora, mais de 40 composições, material que já é suficiente para se produzir mais alguns álbuns de imediato.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imprensa

Visit our archive

Visit our archive

Contato

Fale conosco!

contato@anamuniz.art.br

51 8224-4038

51 8184-0010

 

  • Nome (Required)

  • E-mail (Required)

  • Telefone

  • Assunto

  • Mensagem